Qual a diferença entre tufão, furacão e ciclone tropical?

Qual a diferença entre tufão, furacão e ciclone tropical?

julho 26, 2021 0 Por Paulo Lombardi

Neste início de semana, o tufão In-Fa chegou ao leste da China provocando bastante chuva e vento em várias cidades, como Xangai. Um pouco mais a leste, a tempestade tropical Nepartak começa a influenciar o Japão e já altera a agenda de algumas competições olímpicas. Mas você sabe o que é tempestade tropical e tufão?

Na Meteorologia existe um conjunto de sistemas meteorológicos chamados de ciclones. Os ciclones são áreas de baixa pressão atmosférica, marcadas pela rotação do ar em torno de um centro, o centro de baixa pressão. Essa rotação é acompanhada de convergência, ou seja, o ar também se desloca na direção do centro e, se tiver bastante umidade, é essa convergência que ajuda a formar muitas nuvens e chuva.

Há três tipos de ciclones: os extratropicais, os subtropicais e os tropicais. Os extratropicais geralmente se formam em latitudes médias e altas e são aqueles associados às frentes frias, sendo os ciclones mais comumente observados na costa do Sul e Sudeste do Brasil. Os tropicais, por outro lado, são muito raros no Brasil e são aqueles que se formam em baixas latitudes, sem associação com frentes frias e estando muito mais relacionados a águas quentes e pouco cisalhamento (variação) vertical do vento. Por fim, os subtropicais ficam num estágio intermediário entre os dois anteriores e já foram observados várias vezes próximos ao Brasil.

O termo “ciclone tropical” é o genérico que pode ser usado sempre, mas existem alguns outros nomes para esse fenômeno que são usados em diferentes partes do mundo. Quando um ciclone tropical se forma no Oceano Atlântico ou no Oceano Pacífico Leste (a oeste das Américas), ele recebe o nome de furacão. Quando se forma no Oceano Pacífico Oeste (próximo a Ásia ou Oceania), o ciclone tropical recebe o nome de tufão. E, por fim, quando se forma no Oceano Índico, chamamos o ciclone tropical apenas de ciclone.

Os ciclones tropicais têm alguns estágios que indicam suas etapas de desenvolvimento. Eles começam como uma depressão tropical, quando os ventos sustentados (ou seja, sem considerar as rajadas) ficam em até 60 km/h. O estágio seguinte é a chamada tempestade tropical, quando os ventos sustentados ficam entre 60 e 120 km/h. Por fim, quando os ventos sustentados passam de 120 km/h, o sistema passa a ser chamado como furacão, tufão ou ciclone, respeitando as regras que explicamos antes. E então a partir daí, a velocidade do vento sustentado define as categorias de 1 a 5 e quanto mais forte o vento maior a categoria. Os ciclones subtropicais também têm estágios iniciais que recebem nomes análogos: a depressão subtropical e a tempestade subtropical.

Dessa maneira, furacão e tufão são a mesma coisa, a única diferença é a localização onde se desenvolvem. Já o termo “ciclone” só pode ser usado com o mesmo significado de tufão e furacão quando se tratar de um ciclone tropical formado no Oceano Índico. Por fim, os termos “depressão tropical” e “tempestade tropical” representam os estágios iniciais desses sistemas.